Ferramentas

eValley – Ferramentas de suporte para Crescimento Sustentável na Era Digital

A eValley desenvolveu metodologia e ferramentas, baseado em experiências e projetos reais dos últimos, como suporte para nossos projetos de Consultoria em Gestão Digital.

Qual sua estratégia digital?
“MVP” CORPORATIVO
+ Você sabe qual sua estratégia Digital? Para sua área nova, canal novo, produto novo, serviço novo ou mercado novo?
+ Quais hipóteses você priorizou para testar e obter um direcionamento e Go / No Go em 8 a 12 semanas?


Metodologia MTP®
Qualquer empresa atua em um mercado. Todo mercado tem múltiplos players, de clientes e fornecedores a reguladores e substitutos. E 100% dos players possuem estratégias e planos de ações em um horizonte de tempo. Juntos, analisamos o histórico, dinâmica atual e Tendências & Cenários.
i. MARKET – Existe mercado?
– Qual o tamanho?
– O que influencia?
– Como funciona?
ii. TIMING – Temos time-to-market?
– O que temos?
– Quando faremos?
– Do que precisamos?
iii. PREPARE – Estamos preparados?
– Como estamos?
– Como implantamos?
– O que queremos?

Metodologia PEI®
Qualquer empresa atua em um mercado. Toda empresa possui estratégias e planos de ações em um horizonte de tempo. E 100% das empresas possuem indicadores, painéis e demais ferramentas de controle e monitoramento.
i. PEOPLE – Pessoas
– 100% das empresas dependem de pessoas: gestores, colaboradores, acionistas, investidores, fornecedores, consumidores etc
ii. EBITDA – Lucro
– 100% das empresas visam o lucro ou surplus: os recursos que entram devem ser superiores aos que saem, independente da empresa ter fins lucrativos, pois somente com excesso de caixa é possível estratégias de CAPEX e OPEX
iii. INNOVATION – Inovação
– 100% das empresas buscam longevidade nos seus ciclos de vida de P&S: ampliação e renovação constante da área de influência da empresa
iv. CLIENTES
– 100% das empresas existem porque possuem clientes: 100% das empresas digitais e/ou com práticas digitais de sucesso possuem fãs

Metodologia YES FUNNEL® Qualquer “Startup” (área, canal, produto, serviço, mercado etc) precisa de suporte para ganhar escala e deixar de ser “ideia”. Todo suporte é interno ou externo. Este último tem múltiplos players, de clientes e parceiros a investidores e competidores. E 100% do ganho de escala ia terceiros depende de uma negociação inicial bem realizada. “Você não terá uma 2ª chance para causar uma 1ª impressão”.
i. BP – Business Plan – Plano de Negócios – hipóteses e planos de ações – Está claro e objetivo? – Está exaustivamente testado?
ii. KIT Mercado – Material – Documentos, apresentações etc utilizadas para divulgação externa – Está adequado ao público da reunião? Roadshow interno para convencimento? Roadshow externo para canais ou parceiros? – Está resumido de forma executiva, qualitativamente e quantitativamente?
iii. REUNIÕES e FUP – Negociação – Apresentações e reuniões junto ao público-alvo (investidores, parceiros de plataformas, parceiros comerciais, clientes etc) – Está com agenda e próximos passos claros? – Está com um cronograma adequado?

Tenho processos para implantar digitalização? “BASE” + Você tem uma base sólida para iniciativas digitais? Seus processos e workflows são sinérgicos e operam em cima de uma base única? + Você controla ou gestiona atividades operacionais? Tem relatórios e indicadores online e realtime?   


Digitalização Inteligente de Workflows Qualquer empresa ou área tem colaboradores e processos envolvidos. Tem normas e procedimentos. Tem interações. Padrões, SLAs e controles. Compliance e sistemas internos e externos envolvidos. Mapearemos todos os processos e workflows direta e indiretamente envolvidos para customizarmos uma digitalização inteligente dos processos e workflows envolvendo tomadas de decisões, sejam operacionais e/ou estratégicas. Além da melhora e aumento da eficiência operacional, criamos um painel de indicadores online e realtime em cima de uma base digital única e indexada. Juntos, entenderemos intenções estratégicas e planos de ações, para implantar considerando sinergias e no melhor esforço e timing.

i. Mapeamento de Processos (workflow) com “olhar digital”
– Atividades? Etapas? Fases? Informações? –> quais etapas/atividades são comuns entre processos e workflows?
– Documentos? Bases? –> quais documentos e info são comuns? quais as regras?
– SLAs e KPIs (indicadores)? –> como são medidas e controladas as etapas/atividades direta e indiretamente envolvidos em cada processo e workflow?
– Normas & Procedimentos? –> quais as normas legais e de compliance?
– Sistemas envolvidos? –> quais são os sistemas internos envolvidos e sites externos? Com suas respectivas regras de acesso?
– Colaboradores envolvidos? –> quais os papéis e responsabilidades dos colaboradores direta e indiretamente envolvidos no processo e workflow?
ii. Entendimento das intenções estratégias e planos de ações
– Quais os possíveis cenários da empresa que possam afetar os processos e workflows envolvidos no projeto, direta ou indiretamente?
– Quais os planos de ações de curto, médio e longo prazos para os processos e workflows envolvidos no projeto, direta ou indiretamente?
– Quais as metas e objetivos?
iii. Desenvolvimento & Implantação inteligente de Processos / Workflows Digitais
– a eValley implanta seus projetos de processos e workflows digitais de forma simultânea ao seu desenvolvimento com um time de consultores de negócios (mapeamento) atuando junto com um time de desenvolvedores (Devops team) durante todo o projeto (do mapeamento à implantação efetiva)
– em todos os projetos, decidimos junto com nossos clientes, dentro de “menu de opções” (com exit strategies) e “avaliação de cenários”, a melhor opção para implantação inteligente de um processo / workflow digital
– em todos os projetos, capacitamos os colaboradores de nossos clientes
– em todos os projetos, incluímos ferramentas e metodologias de change management

Qual o objetivo e KPIs para Inteligência Artificial e Big Data?
“TURBO”

+ Você tem clara a intenção estratégica para implantar ferramentas de inteligência artificial e conceito de big data (metas, KPIs, cenários, cronograma, exit strategies, ações e milestones, reuniões operacionais e de decisão periódicas e com agenda)?

Metodologia Intelligent AI

Dentre as inúmeras sopas de letrinhas que encontramos hoje no mercado, não somente mais em literatura, o principal é ter certeza do que se espera obter. Benefícios qualitativos (UserX, sinergia, P&S, CRM, imagem etc) quanto quantitativos (CapEx, OpEx, SLAs, cronograma etc). “Turbinar”, “onda 2” etc as ferramentas e iniciativas digitais que já existem significa alavancar as mesmas, ou seja, é importante partir de algo que “está rodando e está maduro” e melhorar seus resultados. Seja reconhecimento de imagens para texto ou comparações, automatizações de análises operacionais simples, automatizações de decisões com probabilidades e/ou redes neurais para bases internas e externas, é fator crítico de sucesso ter claro o objetivo, meta e resultado final. As tecnologias de inteligência artificial são um “meio” e não um “fim”.
i. Reconhecimento de Imagens
– extração de texto, segundo parâmetros e regras
– comparação probabilística de imagem
ii. Análises operacionais simples
– análises de dados operacionais históricos e correlações com um “menu” dinâmico (dataset + aprendizado de máquina) de opções para tomada de decisões operacionais simples
– parametrização para “check humano” e “alertas para escalation”
iii. Automatizações de decisões com probabilidades
– classificação e segmentação de informações e dados, em camadas
– construção de modelos de dataset
– construção de modelos preditivos probabilísticos
iv. Big Data
– “colisão controlada” de bases internas com bases externas, previamente indexadas e únicas
– modelos transacionais para dados e informações, com “validadores” (“humanos” e/ou “automatizados”)
– construção de modelos “auto-evolutivos” para análise preditiva probabilística dos dados
v. Redes Neurais ou Convolutional Neural Network
– sequência lógica e dinâmica de equações matemáticas que resultam na classificação “inteligente e assertiva” de dados e informações; que são inseridas em modelos probabilísticos de decisão

Toda empresa, área, filial, canal etc é medida por números. O lucro demonstra um fluxo de caixa saudável e sustentável. Se você já gestiona processos, workflows, ferramentas, iniciativas, soluções, projetos, bases etc DIGITAIS; com certeza tem KPIs ou indicadores chave de performance. Em qualquer alavancagem de “coisas digitais” existentes, os objetivos, metas e resultados esperados devem conter dados quantitativos (hard KPIs) e não somente informações qualitativas (non-measurable soft KPIs). Inclua em qualquer projeto ou iniciativa do tipo “onda 2”, ou seja, baseado em “coisas digitais” existentes:
– Redução OpEx geral (mapeie adequadamente os 20% de itens que influenciam 80% das despesas operacionais)
– Impacto CapEx geral (mapeia adequadamente o impacto do antes e depois)
– Reduções em SLAs
– Aumento de assertividade
– Base Digital Única (indexada)
– Redução do nro de interações não automatizadas entre sistemas (internos e externos)
Compliance automático