Empreender: desculpa verdadeira, preguiça ou medo?

Empreender: desculpa verdadeira, preguiça ou medo?

Empreender: desculpa verdadeira, preguiça ou medo? Descubra seu propósito

 

Empreender sempre foi sinônimo de “coragem” ou “necessidade”. Vontade e disposição valem tanto para empreender quanto para qualquer outro tipo de atividade profissional e/ou pessoal para sucesso (dentro das métricas e parâmetros do que você considera como sucesso). Empreender por coragem significa que dentre as inúmeras opções profissionais (“CLT”, setor público, ONG, academia etc) que você tem, você escolheu ter seu próprio negócio. Já por necessidade implica ter seu próprio negócio por falta de opções e/ou oportunidades.

Por que SIM empreender? Por que NÃO empreender?

1.     “Desculpa verdadeira” significa que existe um ou mais argumentos racionais para SIM e para o NÃO. Por exemplo: preciso empreender porque está difícil emprego. Não posso empreender porque preciso da segurança para sustentar minha família. Preciso empreender porque não aguento ter mais chefe e quero ter agenda pessoal. Entenda se seu motivo está relacionado com seu propósito ou se está baseado em uma “desculpa verdadeira”.

2.     “Medo” significa que existe um fato que te impede de SIM ou NÃO empreender. Este fato te impede te tomar uma decisão. Ex: e se empreender der errado e eu perder tudo? E se eu voltar para o “CLT” e me sentir preso? E se eu empreender e a economia não ajudar? E se eu não aproveitar agora para tentar e perder a oportunidade? Responda a todos os medos que você tenha de forma racional, traçando um ou mais Planos Bs – desde voltar para o CLT a ajustes no seu negócio próprio. É importante ter claro que eles existem e fazem parte da natureza humana. E mais importante é ter respostas ou direcionamentos de ações para cada um deles.

3.     “Preguiça” significa que você ainda não tem as motivações para sair da sua zona de conforto atual. Ou seja, prefere “não ter trabalho” e manter as coisas como estão. Sem dúvida há esforços envolvidos em SIM e em NÃO empreender. Mudar de status profissional (empreendedor para CLT e CLT para empreendedor) exigem novos aprendizados. Novos comportamentos. Novas etiquetas sociais. Novo clima organizacional. E a forma como encaramos nossa vida profissional. Ambições e expectativas. É fator crítico de sucesso para você, ter claro também o seu nível de esforço para sair da sua zona de conforto. O resultado que você almeja com este movimento compensa todas as mudanças, aprendizados e esforços envolvidos?

É importante você entender também qual o seu caso: empreender por “coragem” ou por “necessidade”. Este fator implica diretamente no propósito que embasará sua decisão. Tenha consciência ao responder os “por quês” de sua decisão.

Claro que o contexto econômico determina a segurança para empreender por “coragem” e influência na necessidade de empreender por “necessidade”. Se tiver curiosidade, veja a evolução histórica no Brasil. 

Outro ponto importante: ao longo de nossa história até os dias atuais, os empreendedores foram responsáveis pela evolução de todas as indústrias.  Seja por convicção ou “sacada”; produtos e serviços inovadores são criados por este espírito desbravador. Empreender no seu negócio ou na sua área ou na empresa que você trabalha. Não importa. E claro, tivemos pessoas dispostas a empreender para “ganhar dinheiro” em produtos e serviços já existentes. Nem todos serão pioneiros. Por isso é importante entender no seu propósito qual o nível de risco versus segurança que seu perfil prefere. Isso determina que tipo de negócio você deveria considerar.

Em resumo, pense nas seguintes perguntas para te ajudar e descobrir seu propósito para SIM ou para NÃO Empreender:

1. Meu propósito analisou se é desculpa, verdadeira e/ou medo?

2. Meu propósito tem claro se é “coragem” ou “necessidade”? 

3. Meu propósito levou em conta meu perfil de risco?

Isso também irá determinar o quanto você precisa se preparar antes e quantos Planos Bs você precisa ter (e neste caso, o Plano B envolve fontes de renda podendo ser desde adaptar seu negócio próprio a dinâmica do mercado a voltar para mundo “CLT”).

Boa sorte! Lembre-se que se o caminho não valer a pena, o resultado final e/ou seu propósito talvez devam ser revistos.